fbpx

Escola Técnica Estadual Ferreira Viana vence 2ª edição do Hackathon

Desafio era criar uma solução tecnológica para o desemprego na Baixada


Estudantes de ensino médio da rede pública e de diversas unidades da FAETEC (Fundação de Apoio à Escola Técnica) estiveram reunidos, no último fim de semana (28 e 29/09), no Museu Ciência e Vida, em Duque de Caxias, para a 2ª edição do Hackaton Escola Inovadora.

Oito equipes de alunos competiram para desenvolver a melhor solução tecnológica destinada a diminuir o problema de desemprego na Baixada Fluminense, sugestão proposta pela banca examinadora.

O desafio era criar uma solução tecnológica para o desemprego na Baixada

Iniciativa conjunta da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC) e da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), o 2º Hackathon Escola Inovadora também contou com o apoio das instituições vinculadas às duas pastas, como a Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC), a Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do Rio de Janeiro (Fundação CECIERJ/ Consórcio CEDERJ), a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) e o RJ Criativo.

A Baixada Fluminense, que responde por cerca de 22% da população do Estado do Rio de Janeiro, é conhecida, há décadas, por seus problemas sociais, habitacionais, educacionais e de segurança pública. Some-se a isso a questão do desemprego e está formado um quadro que inspira cuidados urgentíssimos por parte das autoridades e da sociedade civil.

Ao final da maratona, a equipe da ETE Ferreira Viana (FAETEC) foi a campeã com o projeto “Vade”, um aplicativo no qual os usuários cadastram currículos, as empresas divulgam vagas e as entrevistas podem ser realizadas por videoconferências, além da oferta de cursos de qualificação profissional gratuitos dentro da plataforma do aplicativo.

Equipe da ETE Ferreira Viana (FAETEC)

Cada um dos seis alunos vencedores da unidade da FAETEC do Maracanã e mais o professor será premiado com um vale de R$ 300 em cartão de crédito Alelo; vagas em eventos da empresa M4U; possibilidade de ingresso no programa Jovem Aprendiz, para os interessados em programação; e 20 horas de monitoria com a equipe da RJ Criativo.

Assessor-chefe do RJ Criativo, responsável por ministrar o treinamento dos estudantes, elaborar o material didático e pela seleção dos professores, Diogo Oliveira resumiu o espírito do evento, que no próximo ano acontecerá no Maracanãzinho: “O Hackathon traz à tona o potencial criativo dos jovens para solucionar os problemas reais da população fluminense. Foram horas de treinamento com a equipe do RJ Criativo, preparando esses alunos para prototipar a solução apresentada no dia 29. E o resultado não poderia ser melhor: excelentes ideias foram apresentadas até chegarmos a um vencedor, porém o mais importante foi preparar essa juventude para empreender e liderar.”

Skip to content