fbpx

Biblioteca Parque Estadual sediará ato de celebração dos 45 anos do Hip-Hop


HipHop
Foto: Pedro Teixeira

Dia 12 de Novembro de 2019, a partir das 16h00, na Biblioteca Parque Estadual, no centro do Rio, o Movimento Cultural HIP-HOP Fluminense como nosso convidado ilustre para o Ato de Celebração dos 45 Anos de existência do HIP’HOP no Planeta.

No evento, será concedida a “Comenda do HIP-HOP”, certificação destinada à pessoas, eventos, programas de rádio e TV, grifes da moda, projetos sociais e coletivos que se destacam em suas áreas de atuação em prol da transformação humana através de ações propostas pelo nosso Movimento Cultural.

Desde o seu nascimento oficial, em 12 de Novembro de 1974, sob os tetos da Universal Zulu Nation, organização fundada exatos 12 meses antes pelo ex-líder de street gang, DJ-produtor e ativista cultural “Afrika Bambaataa”, com sede constituída no campus da Adlai E. Stevenson High School, localizada na seção de Soundview, no South Bronx, o Movimento Cultural HIP-HOP trouxe para a juventude marcada pela falta de oportunidade social definições para a sua ascensão econômica, política e intelectual.

Deste modo, o avanço e a expansão dos Elementos Criativos da Cultura [HIP-HOP], alcançaram outros importantes instrumentos como o cinema, a produção musical e a moda, ressignificando e afirmando sua identidade em uma sociedade resistente à grande “insurgência cultural do Gueto”.

Formado pelos Elementos Primários DJ, MC, B-Boy, Graffiti e o “Conhecimento”, o HIP-HOP conquistou o Planeta com sua proposta de inclusão voltada para as juventudes sem perspectivas, como foi o caso do Brasil, tendo o Rio de Janeiro como sua porta de entrada inicial em 1982, a partir da explosão do clássico musical “Planet Rock”, produzido por Bambaataa e seu grupo “The Soul Sonic Force”.

E, reforçando a defesa de Travis Gosa em seu livro intitulado “O Quinto Elemento do Hip-Hop: Conhecimento”, DJ TR em seu livro “Acorda HIP-HOP!” e a visão de “Afrika Bambaataa” do HIP-HOP como poder de mudança social, além do “microfone aberto” para MCs e Slammers e “piso ideal” para B-Boys e B-Girls, uma “estante repleta de livros ligados à Cultura Urbana” será exposta para o acesso livre de todos aqueles que quiserem compreender mais e mais sobre o Movimento Cultural que influenciou positivamente gerações ao longo dos seus 45 anos de vida.

Skip to content